• 193 
  •  
  •  
  •  
  •  

Diretoria Geral de Saúde realiza Simpósio de Cuidados Paliativos

Hospital Central Aristarcho Pessoa conta com núcleo especializado em assistência a enfermos terminais
 
A Diretoria Geral de Saúde (DGS) do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) organizou, no dia 6 de março, um simpósio para discutir a importância dos cuidados paliativos no tratamento de pacientes que sofrem de doenças irreversíveis ou potencialmente fatais. O auditório do Hospital Central Aristarcho Pessoa (HCAP) foi palco de palestras de pesquisadores e profissionais das áreas de Medicina, Psicologia e Serviço Social.

- O hospital da corporação conta com um núcleo especializado em assistência a enfermos terminais, formado por uma equipe multidisciplinar, que trabalha para diminuir o sofrimento e oferecer dignidade aos doentes e seus familiares. Esse encontro foi idealizado com o objetivo de promover o intercâmbio entre as instituições e difundir o conhecimento sobre o tema - afirmou o diretor geral de saúde, coronel Roberto Miura.

As palestras foram abordaram questões de direitos humanos, cidadania, bioética, nutrição, comunicação e legislação envolvendo os cuidados paliativos, entre outros. 

- A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera este tipo de abordagem aos pacientes uma prioridade da política de saúde. O HCAP investe nestes procedimentos, realizando encontros semanais da equipe para discussão de casos clínicos envolvendo doenças incuráveis, progressivas e potencialmente letais. Os profissionais avaliam em conjunto os pacientes buscando diferentes formas de amenizar o sofrimento psíquico e orgânico pela abordagem multidisciplinar. A atuação, multidimensional, se estende também à família do doente - explicou a coronel Sarah, diretora do HCAP.

Após a identificação das demandas de cada caso, é traçado um plano de cuidados que inclui o respeito à autonomia do paciente, medidas de conforto com alívio de dor, de sintomas de depressão ou ansiedade, auxílio na resolução de questões burocráticas ou legais relacionadas ao fim de vida, apoio em conflitos religiosos, intenção do paciente e família em limitação de suporte invasivo e da obstinação terapêutica.